Home  |  Inscrição Sócios  |  Apadrinhamentos  |  Inscrição Newsletter  |  Loja

MÚSICA


Velha Gaiteira


Velha Gaiteira nasceu no Paúl com o intuito de divulgar a gaita de fole transmontana e as percussões tradicionais da Beira Baixa. É um projecto de raiz tradicional cujo repertório serve como homenagem a todas as velhas gaiteiras que mantêm viva a música enquanto veículo de comunicação e expressão cultural e identitária. Os seus temas originais partem deste universo rural e pastoril para um novo caminho desbravado todos os dias ao som da gaita, da caixa, do bombo e dos adufes.


Ricardo Santos: gaita-de-fole
Hervê Freire: caixa beiroa
Zé Quezada: mouco beirão

www.facebook.com/velhagaiteira


* * *


Tarna


Nace en el año 2007 con el objetivo de elaborar un repertorio basado en la música de la tradición leonesa mas desconocida para el gran público, revitalizando dicho repertorio y dotándolo de un carácter mas contemporáneo. Fruto de esta iniciativa aparece su primer trabajo “Si esperaran las liebres…” (2010), un disco grabado en directo con el que alcanzan excelentes críticas en la escena folk nacional, y que refleja a la perfección su firme compromiso con la tradición. En su segundo trabajo, “El hombre que tenía una vaca” (2014), la naturaleza tímbrica del grupo sufre un profundo cambio y se percibe con claridad una gran madurez en el minucioso trabajo de arreglos y composición. Brittany Hass, Luke Plumb , Xoxé Antón Ambás o Ana Alcaide son algunos de los músicos de los que vienen acompañados en esta grabación, así como el genial poeta Juan Carlos Mestre.


Rodrigo Martínez: Whistles, gaitas, bouzouki y voz
Diego Gutiérrez: Voz, guitarras y armónica

www.tarna.info


* * *

Seiva

Seiva é folk de identidade portuguesa a mostrar a sua força vital. A misturar a oralidade rural e a urbanidade.

Seiva é olhar para dentro para procurar uma raiz cultural e musical e encontrar alma portuguesa nas canções de trabalho, nas romarias, nos adufes e pandeiros, nas canções de fé, na força dos bombos que fazem o coração bater mais forte. Nos ritmos que o tempo ainda não perdeu mas que se foi esquecendo. Sentir essa essência na viola braguesa, no cavaquinho, nas gaitas de fole mas também, no olhar em frente e no desbravar de novos caminhos, misturando electrónica e electricidade sem pudores nem purismos.
A nutrir o presente com o vigor do passado para abraçar o futuro.

Joana Negrão: Voz, Gaitas Portuguesas, Adufe, Pandeireta.
Vasco Ribeiro Casais: Braguesa, Cavaquinho, Gaitas Portuguesas, Adufe.
Rita Nóvoa: Percussões.


www.seivaonline.com


* * *


Torga


Um projecto que apresenta uma nova sonoridade dentro do panorama musical português, através da fusão de canções originais com diferentes estilos musicais englobados na música do mundo, mantendo o espectro da voz popular e da melodia tradicional.

As influências são fruto das diferentes experiências dos músicos que formam a banda: o historial de assimilação e apropriação das linguagens do Jazz, do Rock, do Pop e do Clássico, bem como o uso da electrónica em tempo real é canalizado para um Folk novo, bem articulado e consistente.
O repertório é composto de temas inéditos, contendo letras originais bem como obras poéticas musicadas de autores incontornáveis dentro da cultura Portuguesa. A carga sonora dos Torga é dramática e em consonância com o poder do espectáculo, garante a força festiva contagiando o espaço e o público.


Miguel Quitério: Voz, Gaita Galega, Gaita Transmontana e Flautas
Miguel Simões: Bouzouki
João Mendes: Percussões

www.facebook.com/torgamusic


* * *

Chulada da Ponte Velha


A Chulada da Ponte Velha é o resultado do interesse manifestado por vários músicos em retomar as práticas musicais do Douro Litoral, em especial as chulas dos descantes. O uso das violas do Norte, da rabeca chuleira e do violão ponteado caracterizam o som deste grupo.

* * *


Orquestra de Foles

A Orquestra de Foles é um projecto musical da Associação Gaita-de-Foles: uma formação composta por instrumentos tradicionais onde se incluem meia dúzia de gaitas e um quarteto de percussão. Jogando com ritmos improváveis, arranjos arrojados e reportório diversificado, é um grupo capaz de, com um sopro, levar a gaita-de-foles ao lugar de destaque que merece. Na rua ou no palco, esta sinfonia de foles, ponteiros, roncos, peles e aros, promete o rigor de uma orquestra com a irreverência dos gaiteiros.


Na Imprensa, o CD da Orquestra de Foles teve a avaliação de 4 estrelas na revista Blitz: "Sim, há aqui tradição, mas com sangue novo...e quente!" António Pires, Julho 2015


Vídeo promocional | 
www.facebook.com/OrquestraFoles

* * *

Sebastião Antunes e Luís Peixoto


Sebastião Antunes, mentor do grupo Quadrilha, inicia a sua carreira em 1993, com o álbum "Contos de Fragas e Pragas", onde começa um percurso apoiado nas raízes da tradição portuguesa, com incursões à música pop, e muitas influências vindas da então chamada Música Celta proveniente da Galiza, Irlanda, Escócia e Bretanha. Nos últimos anos, Sebastião Antunes passou a integrar nos seus espectáculos muitas influências da música proveniente do Norte de África, particularmente a que nasce dos povos do Deserto do Sara. Ultimamente tem feito espectáculos de parceria com a cantora Mariem Hassan.

Luís Peixoto é multi-instrumentistas de cordofones, compositor e produtor musical. Na sua carreira musical encontramos projetos como Dazkarieh, Sebastião Antunes & Quadrilha, Realejo, Assembly Point, Anxo Lorenzo Band, Companhia Clara Andermatt ou Júlio Pereira, passando também por colaborações em estúdio e ao vivo a nível internacional como Korrontzi, Kepa Junkera, Fernando Barroso, Riu, Fetén Fetén ou Flook.

* * *

Gaiteiros de Lisboa

Poucos serão os nomes na música portuguesa que reúnam um tão generalizado e sólido consenso como o dos Gaiteiros de Lisboa. A sua história tem sido feita de abertura, de imaginação e de um sucesso só explicável com a qualidade. Os Gaiteiros de Lisboa nasceram em 1991 pela mão de Paulo Marinho, o homem da gaita-de-foles nos Sétima Legião. Atualmente, integram os Gaiteiros os músicos Carlos Guerreiro, José Manuel David, Pedro Calado, Paulo Marinho, Pedro Casaes e Rui Vaz, um verdadeiro grupo de luxo feito com gente que ostenta uma experiência rica que toca nas carreiras de nomes grandes da música portuguesa como José Afonso, Sérgio Godinho, Vitorino, Amélia Muge, Rui Veloso, Sétima Legião ou Adufe. Ou seja, um vasto campo que se estende do rock ao jazz passando ainda pelas músicas tradicionais.

www.facebook.com/gaiteirosdelisboa

* * *


TEATRO E CONTADORES DE HISTÓRIAS

Fronteira", pelos T.R.E.T.A.S.


“Quando a noite desce e sepulta dentro do manto o perfil austero do castelo de Fuentes, Fronteira desperta.”

A partir do conto homónimo de Miguel Torga, "Fronteira" retrata a luta pela sobrevivência à margem da lei, numa terra hostil carregada de penedias. O contrabando torna-se o centro da acção e as fronteiras entre o dever da lei e o amor desvanecem-se junto à linha invisível que separa duas nações, que separa Fronteira de Fuentes.

Trailer da peça

* * *

Contabandistas de Estórias Associação Cultural apresentam:


Contos Viageiros. Cláudia Fonseca traz na sua bagagem histórias de lá e de cá, de muitos lugares e tempos, contos tradicionais e de autor, cantigas, histórias de família, casos, de que gosta muito e que mistura aos contos que conta.


Consultório de Contos. Um espaço sossegado, uma recepcionista peculiar com um livro de marcações à entrada, um terapeuta cheio de histórias na memória e pacientes com muitas e variadas maleitas…

Qualquer pessoa que tenha um problema e que esteja à procura de cura sem efeitos colaterais pode se dirigir ao consultório e marcar uma consulta. Na hora combinada é atendida pelo terapeuta de serviço, com quem fala do seu problema. O contador terapeuta conta-lhe um conto que com toda a certeza o ajudará a cura-se de imediato do que quer que se queixe! O paciente recebe ainda uma receita personalizada, com o nome do medicaconto e a posologia.